Histórias das Expedições – Antártica

3092aac573114c15a183bf0c9b54785c

A Baleia Jubarte de Jacques Cousteau na Antártica

As expedições de moto me levaram por muitos lugares, Canadá, as três Américas e a Antártica. Muitas vezes antes de dormir e conversando com os travesseiros no meu quarto escuro e com o ar ligado volto no tempo e penso nesses lugares por onde passei e sempre termino esses pensamentos com a frase ‘’Obrigado meu Deus por tantas bênçãos ‘’.

Desses lugares, decidi compartilhar uma pequena história muito especial de um ponto em que estive na distante e fria Antártica. Bem próximo a Base da Marinha do Brasil Comandante Ferraz, lugar que serviu de apoio para essa expedição, existe um esqueleto de uma Baleia Jubarte (Humpback Whale) que o Oceanógrafo, Oficial da Marinha Francesa e defensor do meio ambiente Jacques Cousteau montou em 1972 para servir de lembrete a todos nós da importância de preservar os animais e o meio ambiente.

Por dois séculos, milhares de Baleias Jubartes foram mortas na região da Antártica e a carne e óleo eram enviados para a Europa para servir de alimento e o óleo para ser utilizado na iluminação pública das Metrópoles. Atualmente, existem vários projetos mundiais e ações prioritárias para estudo e conservação da espécie. Aqui no Brasil, por exemplo, existe o projeto Baleia Jubarte localizado na praia do Forte, na Bahia, já que o Arquipélago de Abrolhos do Sul é considerado uma das principais áreas de reprodução da espécie.

Durante o seu processo migratório no inverno, as Jubartes viajam milhares de quilômetros desde a Antártica até a Costa Brasileira, onde permanecem no período de junho a novembro e podem ser vistas em várias regiões do Brasil como Rio Grande do Norte,Espírito Santo, Rio de Janeiro, dentre outros.

 

VISTA DO ESQUELETO DA BALEIA JUBARTE (MEGAPTERA NOVAEANGLIAE) EM FRENTE A ESTAÇÃO BASE COMANDANTE FERRAZ NA ANTÁRTICA (CRÉDITOS: VANDERLEI ALMEIDA).

 

OCEANÓGRAFO E DEFENSOR DO MEIO AMBIENTE JACQUES COSTEAU.

 

Veja mais fotos e detalhes técnicos da Expedição de moto para a Antártica: CLIQUE AQUI.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *