Desafio Sundown Norte – Sul

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Oiapoque ao Chuí – Brasil 2005

Iniciando em Manaus e de navio para Macapá, por terra até o Oiapoque e percorrendo todo o território brasileiro em um total de 10.250 km, o Desafio Sundown Norte Sul foi fato inédito no nosso país e tendo sido a primeira vez que esta rota foi percorrida por uma motocicleta de 125 cc e produzida no Brasil, a Sundown Max 125cc.

Motivado pela paixão e pela emoção e, na época, apresentando o Programa “Moto Notícias” na TV Diário, Bozoka realizou um grande sonho: unir o Oiapoque ao Chuí. Bozoka saiu do Oiapoque levando um pouco da areia do extremo Norte para misturar ao chão do extremo Sul. É como se os brasileiros e suas mais diversas culturas e costumes, encontrados ao longo dos quilômetros percorridos, estivessem se encontrado em um só lugar.

UNINDO OS DOIS EXTREMOS DA EXPEDIÇÃO – JUNTANDO AREIA DO CHUÍ COM OIAPOQUE.

Parecia impossível, mas em uma motocicleta de 125cc, ele conseguiu unir os dois extremos do Brasil. O modelo, 100% nacional, carregou o Brasil e seu povo de forma simbólica por muitos quilômetros e o fato de ser uma motocicleta 125cc representou a realidade socioeconômica do brasileiro, um instrumento de trabalho que a maioria das pessoas utiliza para sustentar suas famílias.

A motocicleta não teve preparação especial para enfrentar o desafio. Recebeu apenas protetor de mão e “mata cachorro” para proteger a moto e para que Bozoka pudesse relaxar as pernas. O consumo de combustível ficou em torno de R$ 850, 00 na época e fazia uma média de 30 quilômetros por litro. Isso em um ritmo muito acelerado de 100 a 110km/h, forçando a máquina para levá-la ao limite, 8 mil rpm. Quando na estrada, realizava uma média de 550 quilômetros por dia e a motocicleta desempenhou muito bem o seu papel.

A expedição iniciou no dia 17 de janeiro e só terminou no dia 06 de março. A equipe de reportagem formada pela jornalista Kérsia Porto e pelo cinegrafista Carlos Marlon registrou a viagem, que foi exibida semanalmente no programa Moto Notícias. Isso fez com que as pessoas das cidades por onde Bozoka passava estivessem esperando, pois as mesmas acompanhavam o roteiro pelo programa e sabiam onde a equipe estava chegando.

BR- 156 DO OIAPOQUE PARA MACAPÁ – SUNDOWN MAX 125CC

Nesse sentido, o papel da equipe de reportagem foi, muito mais do que transmitir a viagem para o telespectador do programa, um apoio fundamental e a sustentação do grupo que foi formado. A equipe fazia tudo e Bozoka só se preocupava com a pilotagem.

A viagem de moto realizada também tinha um caráter social: divulgar o livro ” Na Trilha dos Incas”. A renda angariada com a venda do mesmo foi revertida para a Casa do Menino Jesus, instituição que cuida de crianças com câncer. Desta forma, entre as paradas da expedição, a equipe visitou a Instituição em Belém – PA e no Distrito Gama, cidade satélite de Brasília, onde ficaram hospedados na Casa do Menino Jesus daquela localidade para conhecer a realidade das crianças com câncer.

Para alcançar o destino escolhido, tudo deve ser detalhadamente planejado e com responsabilidade. O piloto deve escolher uma máquina que lhe dê segurança, deve conhecer os seu limites e estar preparado físico e psicologicamente. Numa expedição motociclística, é preciso ter a certeza de que se quer passar por isso, pois é uma experiência de crescimento pessoal.

É preciso acreditar nos sonhos, pois o homem é o reflexo deles. Viver na plenitude do verbo viver, realizar algo que vai te completar como ser humano.

 

Veja mais fotos desta expedição e detalhes técnicos AQUI.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *