Expedição Uma Aventura Gelada

Fortaleza – Antártica /2006

Uma expedição ao fim do mundo e à frente deste ponto envolvendo moto, carro e navio, de Fortaleza à Patagônia até chegar à Antártica retornando para Porto Alegre (RS). Foram 13.095 km de estrada e mais 2.240 km de mar, cruzando mais da metade de todo o território brasileiro até o Uruguai, Argentina, Chile e Patagônia. Um verdadeiro continente com seus povos distintos, relevo e clima característico.

A CAMINHO DE FEIRA DE SANTANA – BAHIA

A Patagônia é conhecida por exploradores e aventureiros como o fim do mundo, pois domina toda a extremidade do continente sul-americano com sua natureza indomável e indescritível. O relevo desta região é único no mundo, com torres de granito em tons de rosa e branco de até 1800 metros, glaciárias, lagos cristalinos, picos cobertos de neve e fauna diversificada. Este foi o portão de entrada para a segunda parte da expedição, pois em Punta Arenas a equipe encontra o navio da Marinha Brasileira Ary Rongel, levando-os para uma inesquecível expedição à estação brasileira na Antártica Comandante Ferraz, localizada na Ilha George do Sul, no Arquipélago das Shetland do Sul.

ESTRADA E CHUVA – MINAS GERAIS

A Antártica é o último local selvagem e menos explorado do planeta. O único continente praticamente livre de contato humano desde o começo dos tempos. O mar da região, devido à zona de convergência onde as águas frias provenientes do pólo sul encontram-se com as águas quentes do Atlântico Sul, torna esse trecho do oceano o mais imprevisível do planeta, tornando a jornada entre a América do Sul e a Antártica uma aventura à parte.

BAHIA DO ALMIRANTADO – ANTÁRTICA

Foi nesse cenário de desafios e conquistas que Bozoka, depois de cruzar praticamente todo o continente Sul- Americano e de mar, se tornou o primeiro piloto motociclista do mundo a pilotar na Antártica.

 

EMBARCANDO PARA O GLACIAR KRAKÓVIA

PILOTAGEM PIONEIRA NO GLACIAR WANDA – GELEIRA KRAKÓVIA

Veja mais fotos e detalhes técnicos desta expedição AQUI.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *