13.000 em 2016.

Falar de acidentes é delicado pois parece que todos os segmentos no Brasil preferem não tocar no assunto, como se dessa maneira o problema fosse desaparecer como por encanto. Certa vez, quando apresentava o programa Moto Notícias na TV Diário, em Fortaleza, tive um contrato de um anunciante do segmento cancelado porque mostrei no ar um acidente de maneira educativa, com a intenção de que outros motociclistas não cometessem o mesmo erro.

Poderia escrever várias linhas apontando de quem é a responsabilidade pelo completo caos da segurança no trânsito mas vou focar onde penso: que podemos juntos fazer a diferença para melhorar, pois a sensação é de completo abandono.

Você compra a moto e, a partir deste momento, é tudo por sua conta. Somente o Motociclista pode, através de uma auto – reavaliação da sua pilotagem, aumentar as suas chances de sobrevivência no trânsito. Penso que existe em cada ser humano um pouco de bom senso mas parece que alguns teimam em esquecer que a imprudência causa graves acidentes, onde muitos são fatais.

Conversando com motociclistas acidentados, consegui descobrir a síndrome do sábado a noite. Este fenômeno ocorre quando o paciente está internado convalescente com pontos, imobilizações, furos de agulhas, tomando soro e com drenos pelo corpo. A luz é apagada e, neste momento, o motociclista tenta se mover e vem o incômodo da dor generalizada. O cara lembra do acidente e de tudo o que fazia de errado quando pilotava e diz ‘’ Meu Deus me ajuda, me tira dessa, eu terei cuidado de agora em diante”.

 

Para você que está lendo isso agora e graças a Deus não passou por essa situação que sirva de alerta. Somente o piloto na atual situação do trânsito brasileiro pode fazer alguma diferença através do bom senso. Quero mesmo é que os amigos pensem e desfrutem o lado maravilhoso que a motocicleta oferece, voltem para Casa no final do dia e sintam o abraço dos seus amados.

 

7kjrxul5jyanhdk9vovub264t

Apesar das estatísticas no Brasil não serem precisas, em 2016 aconteceram 13.000 acidentes fatais com motociclistas e esses dados só aumentam neste ano de 2017. total alarmante somente inclui os que foram a óbito no local do acidente e nas 24 horas seguintes. Os que morreram de complicações 2 dias ou mais após o ocorrido, não são considerados como resultado de mortes causadas por acidentes de trânsito. A Organização Mundial da Saúde (OMS) exige que os países façam o acompanhamento de um acidente por 6 meses.

Cada Moto uma Vida.

2 respostas
  1. Felipe Medina
    Felipe Medina says:

    Educação! Precisamos de educadores que tenham o conhecimento de pilotagem, investimento por parte dos Estados, junto aos educadores, órgãos competentes e as leis sendo aplicadas e cumpridas através da fiscalização. Parabéns Bozoka pelo excelente serviço prestado.

    Responder
    • Bozoka
      Bozoka says:

      Obrigado Felipe. Vamos fazendo a nossa parte nesta luta para humanizar o trânsito e salvar preciosas vidas. Abraços!

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *